domingo, 15 de maio de 2011

Em uma noite escura,

eu estava perdida, com só a clara e amarela luz da lua. Os galhos das árvores faziam formatos assustadores, que apasar disso ser coisas de criança, me davam arrepios. A cada passo que dava, parecia que a saída parecia ainda mais longe. Não via ninguém a minha frante, nenhuma , luz, e o único som que meus ouvidos constataram era a de alguns animais e de galhos com o balaçar do vento. Sentei e encostei em uma pedra, meus pés já estevam inchados, com calos e bolhas, meu boca tava seca como um deserto no verão, meu estômago tava vazio e pedia algo para satifaze-lo. Olhei, mas não via nada, na quele minuto oq eu mais queria era ver alguém, talvez minha mãe, meu pai, talvez voc, meu amor, que já era o heroi do meu coração, procurar por mim, e ser o heroi de toda a minha vida. Será que naquele minuto, voc pararia de me ver como uma amiguinha, e sentisse minha falta? Mas enfim, na quele grande minuto, só pensava em ser salva. Mas, para minha sorte... Aquilo era tudo um pesadelo, acordei em minha casa, minha cama, ao lado da minha família, e de toda a minha vida comum, mas , a única coisa, que não teria mudado, é que voc continua me vendo como sua amiguinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário